Conexões para Inovação

Conexões para Inovação incentiva a pesquisa para projetos de transformação digital

Alunos de qualquer curso de graduação ou universidade podem concorrer a bolsas de pesquisa

Trabalhar com pesquisa e inovação está no DNA da Petrobras. Desde que começamos a operar, há 66 anos, temos nos deparado com desafios e, para resolução de muitos deles, buscamos a parceria de universidades. Hoje esperamos não só manter essa proposta, mas expandir esse ecossistema de inovação ao trazer as startups e, agora, os estudantes de graduação para esse universo.

Nessa busca, lançamos mais uma etapa do programa Petrobras Conexões para Inovação. O módulo, batizado de Ignição, é promovido em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e quer fomentar a experimentação, desafiando universitários a criarem juntos soluções para a transformação digital do setor de óleo e gás.

Procuramos alunos de graduação que sejam inovadores, arrojados, proativos e que gostem de tecnologia e desafios. A proposta é unir a experiência do corpo técnico da Petrobras com estudantes, universidades e start ups  buscando novas formas de fazer Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação (PD&I). É dessa mistura que surgirá a ignição. “É mais uma iniciativa que estamos lançando para acelerar o nosso processo de inovação. Serão selecionados 21 alunos que passarão por uma mentoria baseada em desafios seguida de um período para desenvolvimento de inovações”, afirma Nicolás Simone, diretor de Transformação Digital e Inovação.

O Programa

As atividades terão início em fevereiro de 2020 e serão desenvolvidas nos laboratórios da PUC-Rio, no Campus da Gávea. Também estão previstas visitas às instalações da Petrobras, no Rio de Janeiro. Todos os participantes receberão remuneração em modalidade de bolsa de pesquisa.

Ao mesmo tempo em que aprendem, usufruindo do conhecimento da universidade e das práticas de mercado no contato com a Petrobras em um processo de co-criação, os participantes desenvolverão projetos inovadores, utilizando tecnologias emergentes como Blockchain, Inteligência Artificial e Internet das Coisas, explica Gustavo Robichez, coordenador dos Programas de Inovação Tecnológica da PUC-Rio.

Metodologia

O programa busca estimular o desenvolvimento de soluções criativas e inovadoras para elaborar novos produtos, processos ou serviços. Para isso, oferecerá formação, conhecimento tecnológico, metodológico e instrumental ao participante, além de desenvolver comportamentos empreendedores como iniciativa, persistência, estabelecimento de metas, busca de informações, planejamento e monitoramento, independência, trabalho em equipe e colaboração. 

O trabalho será fundamentado no Desenvolvimento Experimental Ágil com base no método de ensino e aprendizagem denominado Challenge Based Learning (CBL), onde são formados grupos multidisciplinares que trabalham temas voltados a áreas específicas. A abordagem incentiva os alunos a utilizarem a tecnologia aplicada em suas vidas diárias para solucionar desafios propostos e problemas do mundo real. A ideia é que as competências tecnológicas e comportamentais abordadas no programa sejam desenvolvidas a partir de um desafio.

Lançamos uma provocação que levará o jovem a um processo de investigação. Durante o período de um mês, ele será instigado a pesquisar o potencial da tecnologia para criar, ao mesmo tempo em que aprende ferramentas e programas que o levem a criar um protótipo a ser avaliado por uma banca com representantes da Petrobras”, explica Rafael Nasser, coordenador técnico do Programa. Em seguida, os participantes têm dois meses para construírem um produto em forma de software. “É uma experiência única para um jovem ter suas ideias apresentadas diretamente para um gerente geral de uma grande empresa e ter a oportunidade de impactar o negócio diretamente. É transformador e enriquecedor, inclusive em um âmbito pessoal, complementa Nasser.

Rafael Nasser, coordenador técnico do Programa de Inovação Tecnológica da PUC-Rio.

A metodologia CBL vem sendo aplicada pelo departamento de Informática da PUC-Rio em programas de capacitação através de seus núcleos desde 2015 e já foi desenvolvida com sucesso em iniciativas como GloboLab Dados, Insurtech Innovation Program e Apple Developer Academy. A estudante de biblioteconomia da Uni-Rio Jaqueline Rocha participa do Insurtech. “Está sendo desafiador. Ao contrário do que as pessoas pensam, trabalhamos muito com tecnologia na minha área e, ao longo do programa, tenho aprendido sobre solucionar problemas e criar oportunidades. Gosto de atuar com gestão da informação, que é algo que está em todos os lugares”, conta.

Para Lucas Nascimento, estudante de design da PUC-Rio e participante do GloboLab, o maior aprendizado até o momento é entender o que o usuário quer e traduzir a informação de forma precisa.

O programa traz como desafio pensar o consumo de mídia no futuro e, para isso, preciso pensar à frente. E a tecnologia tem tudo a ver, afirma Lucas, acrescentando que a troca de experiências entre cursos diferentes também está sendo construtiva.

Lucas Nascimento, estudante de design da PUC-Rio e participante do GloboLab.

Como Participar

As inscrições estarão abertas até 6 de janeiro de 2020 por meio do formulário disponível no site da Puc-Rio. Nessa página, os interessados têm acesso ao edital completo de seleção. Podem participar estudantes de qualquer área e idade, regularmente matriculados em cursos de graduação, com conclusão prevista para após janeiro de 2021. São 21 vagas para alunos de qualquer universidade.

Conexões para Inovação

O programa Petrobras Conexões para Inovação é composto por uma série de iniciativas voltadas à inovação por meio do estímulo ao desenvolvimento de soluções tecnológicas para o setor de petróleo, gás e energia. O primeiro módulo, em parceria com o Sebrae, tem como objetivo estimular o ecossistema de inovação das startups, pequenas empresas inovadoras e instituições de ciência e tecnologia.

Compartilhe