Meio Ambiente

Sim, você gosta de golfinhos. Mas você conhece quem cuida deles?

Exímios nadadores, extremamente sociais, capazes de se comunicar através de um complexo sistema acústico de ecolocalização, mais eficiente que qualquer sonar criado pelo homem. Os golfinhos são considerados uma das espécies mais inteligentes que existe no planeta Terra – ou a mais inteligente, se você confiar no Guia do Mochileiro das Galáxias.

Porém a captura acidental em redes de pesca e a poluição colocaram em risco a segurança das diversas espécies de golfinho. E é aí que entram em cena iniciativas como o Projeto Golfinho Rotador, patrocinado pela Petrobras, que desde 1990 vem trabalhando na preservação dessa espécie no litoral brasileiro.

 

Um turista de bom gosto

A terceira espécie de golfinho mais abundante no mundo, o golfinho-rotador é uma criatura cosmopolita, que vive em águas oceânicas tropicais. Pode atingir até 2m de comprimento, 75 quilos de peso e viver até os 35 anos de idade.

Nadando em agrupamentos que podem ir de 3 até 2000 indivíduos, se deslocam por uma área de até 700 km e são capazes de atingir 150 km de distância em 24 horas. Preferem águas calmas, preferencialmente nas enseadas de ilhas oceânicas, como Baia Kealakekua, no Havaí e na Baía dos Golfinhos, no arquipélago de Fernando de Noronha.

Sim, Havaí e Fernando de Noronha. Viu como os golfinhos são inteligentes?

 

Mas o que o Projeto Golfinho Rotador faz?

O projeto, sediado em Fernando de Noronha (PE), atua em quatro frentes: pesquisa, educação ambiental, relacionamento comunitário e sustentabilidade.

A pesquisa consiste no estudo da história natural dos golfinhos, analisando quantos os golfinhos são, onde eles estão e quanto tempo eles passam em cada local, somando mais de 8 mil dias e 70 mil horas de pesquisa, incluindo monitoramentos, expedições e mergulhos com os golfinhos.

No campo da educação ambiental, o foco é a temática marinha e as inter-relações ecológicas do ecossistema local com o cotidiano da população de Fernando de Noronha e também seus visitantes. Através de oficinas, palestras, e atendimento a turistas, é possível informar e orientar quanto à necessidade de se preservar não apenas os golfinhos, de maneira específica, como o planeta como um todo.

O relacionamento comunitário tem o objetivo de estimular o desenvolvimento sustentável da região, promovendo capacitação profissional, apoiando iniciativas culturais e esportivas. Exemplos são o apoio ao Grupo Maracatu Nação Noronha e à Associação de Surf de Fernando de Noronha.

As questões de sustentabilidade se ancoram no desenvolvimento de uma relação harmoniosa entre as atividades humanas e a preservação do meio ambiente, nesse sentido, o projeto tem promovido a formação profissional e consultoria em gestão sustentável aos pequenos empresários da ilha, assim como a realização de cursos de ecoturismo, visando a inserir os moradores locais no mercado de trabalho.

 

E quais foram os resultados?

Várias vezes premiado, nacional e internacionalmente, o Projeto Golfinho Rotador completa 30 anos neste mês de agosto como um dos maiores Programas de Pesquisa Ecológica de Longa Duração de golfinhos do mundo e o maior projeto de conservação de golfinhos do Brasil.

Graças à sua atuação foi possível manter constante a frequência dos golfinhos em Noronha, mesmo com a queda da população de cetáceos no mundo, além da sua contribuição, propondo, criando e fiscalizando normas de conservação para esses animais no Brasil.

A contribuição científica também foi relevante. Os estudos gerados no projeto foram publicados em 8 livros, 6 capítulos de livros, 8 teses de doutorado, 7 dissertações de mestrado, 32 trabalhos de conclusão de curso, 40 trabalhos publicados e 180 trabalhos apresentados em eventos científicos.

Além disso foram realizadas mais de 1000 oficinas, atendendo mais de 15 mil alunos e 200 professores e 70 cursos profissionalizantes, com mais de 4 mil inscritos, unindo conservação ambiental, pesquisa acadêmica e contribuição social, em ações que contam com nosso patrocínio de 2001.

O Golfinho Rotador faz parte da Rede Biomar – Rede de Conservação da Biodiversidade Marinha, em parceria com os projetos Albatroz, Baleia Jubarte, Coral Vivo, Meros do Brasil e Tamar. Esses projetos, todos patrocinados pela Petrobras, trabalham de forma integrada na conservação de diversas espécies marinhas, recifes de coral e ambientes coralíneos na costa brasileira e regiões oceânicas. Além das ações de pesquisa, os projetos possuem ações de educação ambiental, mobilização social e à elaboração de políticas públicas nacionais e internacionais.

Quer conhecer mais sobre os 30 anos de trajetória desse projeto incrível? Clique aqui para aprender mais sobre o golfinho-rotador e o que vem sendo feito para protegê-lo. 

#ProjetosAmbientais #GolfinhoRotador #30AnosGolfinhoRotador
Compartilhe