Título

Link do botão
Ícone do botão Button Label
Ícone de carregamento

Programa de captura de carbono (CCUS) da Petrobras é o maior do mundo em volume

Saiba o que é CCUS e descubra tudo sobre o maior programa de captura, uso e armazenamento de CO2 do mundo, mantido pela Petrobras.

Atualizado em 02/04/2024

Postado em 22/12/2023

Texto copiado!

Nosso programa de captura, uso e armazenamento de CO2 vem aumentando a cada ano o volume reinjetado e é referência mundial no uso de tecnologias em direção a um futuro de baixo carbono.

Em seu relatório “Net Zero by 2050”, lançado em 2021, a Agência Internacional de Energia (AIE) destacou que a captura de carbono (CCUS) é um dos principais viabilizadores para zerar as emissões líquidas de carbono até 2050. 

Mas, afinal de contas, o que é CCUS? E como isso funciona? Confira agora!

O que significa a sigla CCUS?

CCUS é uma sigla para Carbon Capture, Utilization and Storage. Ou seja: captura, uso e armazenamento de carbono.

Para que serve o CCUS?

O gás dos campos do pré-sal contém gás natural e também CO2 na sua composição. A tecnologia de CCUS engloba a separação de ambos e a posterior reinjeção do gás de volta ao reservatório de onde saiu, onde fica armazenado.

A reinjeção foi uma solução encontrada pela companhia para atender ao compromisso de não ventilar para a atmosfera o CO2 que está presente no gás natural. Trata-se de uma das iniciativas que permitem à empresa produzir petróleo com baixa emissão de carbono nos campos do pré-sal.

Como conseguimos capturar e armazenar carbono?

A captura de carbono é feita a partir da separação do gás natural e o CO2 na plataforma. A reinjeção do CO2 no reservatório é feita com uso de tecnologia de injeção alternada de água e gás (Water Alternating Gas - WAG), ajudando a manter a pressão interna e melhorando a recuperação de petróleo. 

A solução desenvolvida pela Petrobras é pioneira pois, ao mesmo tempo em que evita emissões, também aumenta a eficiência da produção. Isso acontece porque a reinjeção de CO2 ajuda a manter a pressão interna nos reservatórios e, com isso, promove um aumento na quantidade de óleo que pode ser extraído (a chamada Recuperação Avançada de Petróleo, ou Enhanced Oil Recovery - EOR). 

Atualmente, a Petrobras trabalha no desenvolvimento de novas tecnologias sustentáveis e de captura de carbono visando à redução do tamanho e peso das unidades de processamento nas plataformas, além da redução dos custos para as operações.

Um exemplo é a tecnologia patenteada pela Petrobras de separação em alta pressão (High Pressure Separation - HISEP). Com ela, o gás que sai do reservatório já é separado e reinjetado a partir de um sistema localizado no fundo do mar. Com isso, a produção do campo é ampliada e é possível alcançar uma menor emissão de gases de efeito estufa para cada barril de óleo produzido.

Qual é a escala atual de captura e armazenamento de petróleo da Petrobras?

O programa de captura, uso e armazenamento geológico de CO2 (Carbon Capture, Utilization and Storage - CCUS) desenvolvido pela Petrobras nos campos do pré-sal é o maior do mundo em operação, em volume reinjetado anualmente, e também é o pioneiro em águas ultraprofundas.

A Petrobras vem aumentando, a cada ano, o volume de CO2 reinjetado em reservatórios. Em 2022, batemos o recorde mundial de CCUS, de acordo com o Global CCS Institute, alcançando a marca de 10,6 milhões de toneladas reinjetadas — isso equivale a 5,8 bilhões de m³ de CO2, o que é cerca de 25% de todo o volume reinjetado pela indústria global. 

Este resultado é fruto do desenvolvimento de um conjunto de inovações da Petrobras, desde tecnologias de captura até modelos matemáticos avançados.

Há quanto tempo a Petrobras faz captura de carbono?

A primeira implantação foi feita em 2008 e, até 2022, a Petrobras já havia reinjetado um total de 40,8 milhões de toneladas de CO2 nos reservatórios. O resultado está em linha com nossos Compromissos do Clima, que incluem a meta de atingir o volume acumulado de 80 milhões de toneladas de CO2 reinjetadas até 2025.

Gráfico mostra o resultado do programa de captura de carbono (CCUS) desde a sua implementação.
Em 15 anos, nossa reinjeção acumulada de CO2 passou de 2,9 milhões de toneladas para 80 milhões!

Em 2015, nosso pioneirismo em CCUS foi reconhecido mundialmente com o OTC Distinguished Achievement Awards.  

Atualmente, todas as nossas 21 plataformas que produzem no pré-sal da Bacia de Santos incorporam a tecnologia de CCUS associada à recuperação avançada de petróleo. A experiência em campo e as iniciativas de pesquisa contribuirão ainda para a evolução tecnológica e redução de custos, capacitando a empresa a avaliar e desenvolver novas oportunidades associadas à CCUS. 
 

"Os petróleos não são todos iguais. O petróleo que produzimos nos campos do pré-sal (notadamente Tupi e Búzios) está entre aqueles com menor emissão operacional do mundo. Consumir petróleo produzido com menor emissão é uma contribuição imediata e relevante para a redução das emissões mundiais. Nos últimos 12 anos, conseguimos reduzir praticamente à metade a emissão por cada barril de petróleo produzido e nossa ambição é atingir a neutralidade em carbono. O domínio da tecnologia de CCUS-EOR é uma alavanca para reduzir as emissões de vários setores e um elemento de competitividade para a Petrobras."
Viviana Coelho, gerente executiva de Mudanças Climáticas e Descarbonização da Petrobras

Quais são as outras iniciativas da Petrobras para descarbonizar suas operações

A reinjeção de CO2, em campos de produção, associada à tecnologia EOR, de recuperação avançada de petróleo, continuará tendo papel relevante na trajetória de redução da intensidade de emissão de gases de efeito estufa na produção de óleo e gás. 

Mas essa é apenas uma das diversas tecnologias e iniciativas sustentáveis que a Petrobras está investindo para neutralizar suas emissões de carbono e liderar a transição energética no país. Para se ter uma ideia, o nosso óleo produzido na camada do pré-sal já tem emissão de CO2 até 70% menor do que a média mundial! Quer descobrir como estamos transformando nossa energia? 

Conheça mais tecnologias e iniciativas sustentáveis da Petrobras.

 

Notas
;

Leia também

Link da Notícia 51404 Desenho que representa energia eólica offshore.
Transição Energética
Liderança na transição energética justa
Artigo
7 min
Link da Notícia 51414
Transição Energética
Podcast Nossa Energia com temas sobre transição energética e descarbonização
Artigo
2 min
Link da Notícia 51416 Plataforma FPSO da Petrobras
Transição Energética
Programa de captura de carbono (CCUS) da Petrobras é o maior do mundo em volume
Artigo
3 min
Link da Notícia 51423 mão com luva branca segurando vidro com amostra de diesel R5
Transição Energética
Conheça 5 iniciativas para liderar a transição energética justa
Artigo
7 min
Link da Notícia 51434 Plantas em tubo de laboratório sendo conservadas para desenvolvimento de biocombustíveis
Transição Energética
Biocombustíveis: o futuro da energia é renovável
Artigo
3 min
Link da Notícia 51441 Torres de energia eólica, e ao fundo uma paisagem do por do sol.
Transição Energética
De IA a robótica: como usamos novas tecnologias para gerar a energia do futuro
Artigo
8 min
Link da Notícia 51448 Os jornalistas Francisco José e Diógenes Dantas abraçados
Transição Energética
Um Brasil de Energia - caminhos para uma transição energética justa.
Websérie
5 min
Link da Notícia 51454 Três colaboradores da Petrobras discutindo sobre Transição Energética
Transição Energética
Transição energética justa: entenda os caminhos que movem a Petrobras!
Podcast
6 min




Canais

Acessibilidade

Faça uma busca:

Buscar

Sugestões de busca

Link de exemplo
Ícone do botão /documents/d/nossa-energia/chevronright-svg?download=true Exibir mais resultados
Ícone de carregamento

Mais pesquisados

Preço dos combustíveis

Pré-Sal

Time Petrobras

Escolha um Canal:

Acessibilidade

Alto-Contraste

Desligado

Ligado

Texto Grande

Desligado

Ligado

Idioma:

Selecione um idioma: