Meio Ambiente

Você sabe o que é o monitoramento das praias?

O monitoramento de praias  é a averiguação diária para registro e avaliação dos animais encalhados  nas praias, mesmo que eles estejam feridos ou mortos. Isso permite não apenas a coleta e armazenamento de uma quantidade enorme de dados sobre as espécies presentes no nosso litoral, favorecendo a disseminação do conhecimento através de pesquisas e publicações técnico-científicas, como ainda dá base para planos e decisões de órgãos ambientais, contribuindo nas ações de preservação de diversas espécies.

Além disso, também são oferecidos cuidados aos animais feridos e acidentados, com ações que vão desde a reabilitação de animais encalhados até o tratamento com células-tronco que ajudou a recuperar os movimentos de uma tartaruga atingida por uma embarcação em Santa Catarina, e o atendimento simultâneo de duas baleias no litoral do Rio de Janeiro. Ou seja, o monitoramento não envolve apenas a observação, mas também o cuidado com esses animais.

Mas afinal, por que o monitoramento das praias é importante?

O Brasil possui uma das maiores faixas costeiras do planeta. Com mais de 8.500 km, percorrendo 17 estados e mais de 400 municípios, essas praias recebem diariamente milhares de animais que vem de todas as partes, sejam naturais do nosso país ou visitantes de outras regiões, com a intenção de se alimentar, abrigar ou reproduzir. São tartarugas, baleias, pinguins, e diversas outras espécies que frequentam ou habitam o nosso litoral.  

Mas quem fica de olho em todos esses animais?

É no cuidado com todos esses visitantes que atuam os diversos Projetos de Monitoramento das Praias (PMP) espalhados por todo o nosso litoral. Ações condicionantes do processo de licenciamento ambiental das nossas atividades, PMP da Bacia de Santos e o PMP da Bacia de Campos/Espírito Santo, se destacam pela extensão geográfica de sua atuação e também por estarem, em 2020, completando respectivamente, 5 e 10 anos de existência.  

E são tantos animais assim?

Só o PMP-BS, em toda a sua história, registrou mais de 89 mil animais, enquanto cerca de 11 mil receberam atendimento nas instalações da Rede de Atendimento Veterinário, e outros 2.800 foram devolvidos à natureza. Só em 2016, por exemplo, foram registrados mais de 14.473, pertencentes a 84 espécies, entre aves, mamíferos e répteis.

Já o PMP-BC/ES, registrou mais de 50 mil espécimes, atendendo quase 5 mil em suas instalações e devolvendo mais 900 para a natureza. Só no mesmo ano de 2016 foram mais de 4 mil os registros, entre quase 40 espécies diferentes. 

Graças ao trabalho desses e de outros projetos vem sendo possível oferecer contribuições significativas sobre a diversidade e biologia de várias espécies de aves, quelônios e mamíferos marinhos, uma atividade essencial do ponto de vista da conservação desses animais.  

Quer conhecer mais sobre as atividades dos Projetos de Monitoramento de Praias? Acesse a página do programa para aprender mais sobre essa atividade tão importante: 

E ao avistar baleias, lobos ou leões-marinhos, golfinhos, pinguins, aves e tartarugas marinhas nas praias, vivos ou mortos, acione o PMP da sua região:

#Sustentabilidade #ProjetosAmbientais #Meio Ambiente
Compartilhe