Título

Link do botão
Ícone do botão Button Label
Ícone de carregamento

Como minidrones serão aliados em atividades submarinas

Conheça a tecnologia utilizada pelos minidrones, pequenos robôs subaquáticos usados pela Petrobras em sua operação.

Atualizado em 06/03/2024

Postado em 06/03/2024

Texto copiado!

Você sabia que o uso de drones, tão popularizados pela indústria de entretenimento, não se limita ao espaço aéreo? E que uma nova geração de drones — em sua versão submarina e bem mais compacta — pode ser uma grande aliada da indústria de petróleo offshore?

Foi pensando nisso que nossos cientistas do Centro de Pesquisas e Inovação da Petrobras (Cenpes) foram em busca do desenvolvimento de minidrones, especialmente projetados para inspeções complexas e atividades de risco em águas rasas.

Entenda o potencial dos minidrones submarinos na indústria de petróleo offshore. Acompanhe, a seguir, como essa inovação está transformando operações, aumentando a segurança e reduzindo custos.

O que são minidrones submarinos?

Drones não são novidade no setor de petróleo e gás, como é o caso dos ROVs (ou Veículos Operados Remotamente, da sigla em inglês Remotely Operated Vehicle), amplamente utilizados pelas petroleiras.

O diferencial dos minidrones é o tamanho reduzido, além da maior mobilidade: podem ser lançados diretamente da própria plataforma — e não apenas de uma embarcação de apoio — e são facilmente operados ou movimentados no ambiente offshore.

A tecnologia envolve robótica e sensoriamento, para captar dados e monitorar a integridade dos equipamentos, mas os drones não são autônomos. Eles respondem a comandos enviados por um operador que controla o veículo da superfície.

Por que a Petrobras está usando minidrones submarinos?

A entrada de minidrones na companhia integra o chamado “Programa Petrobras Sinergia Diverless”, que tem como meta a redução de acidentes nas atividades offshore, levando em conta que o mergulho é uma das operações de maior risco dentro da companhia. A tecnologia é fruto de parceria da Petrobras com as empresas Geosaker e BRS Robótica. 

O movimento diverless foca em aprimorar a segurança operacional. Além de aliar ganhos em segurança de trabalho e em produtividade, os minidrones geram uma economia de até 90% nos custos da operação em relação aos veículos submarinos tradicionais.

Os aparelhos estão sendo utilizados para operar em águas rasas, de até 300 metros de profundidade, em ambientes submetidos a fortes correntezas. A expectativa é que o seu uso reduza não apenas o risco de acidentes, mas também libere a presença humana para funções mais especializadas.

Uso de minidrones na Petrobras

Os minidrones podem ser usados em operações de inspeção para gerenciar a integridade dos equipamentos submarinos. O nível de corrosão dos equipamentos, por exemplo, pode ser um dos itens a serem checados a partir de informações coletadas pelos drones.

O objetivo dos testes é avaliar como os pequenos veículos submarinos irão se comportar em uma região do mar onde a influência da correnteza é muito grande, além de apontar as ferramentas que precisarão ser desenvolvidas para a realização das mais variadas tarefas.

É preciso considerar que o minidrone submarino é capaz de ficar dias submersos sem necessidade de voltar à superfície, ao contrário do mergulho humano que observa limites muito rígidos de operação para garantir a segurança.

A Petrobras tem outras inovações diverless?

Ainda não foram superados todos os desafios, mas já sabemos aonde queremos chegar com o uso de minidrones e outros ROVs: a um futuro 100% diverless. O robô AURI Diverless é outro exemplo de um de nossos veículos submarinos operados remotamente, para inspeções em dutos submarinos.

Com esses equipamentos, usamos tecnologia para aumentar a eficiência e a segurança de nossas operações. Além disso, também criamos novas oportunidades, já que é natural que nossos mergulhadores tornem-se os operadores desses ROVs.

A jornada continua, e o potencial dos minidrones submarinos está apenas começando a ser explorado. Descubra mais inovações tecnológicas que estão sendo aplicadas em nosso negócio.

Notas
;

Leia também

Link da Notícia 28531 Três colaboradores da Petrobras movendo equipamento submarino em oficina de manutenção.
Inovação
Conheça seis equipamentos submarinos da Petrobras
Artigo
5 min
Link da Notícia 28533 Tecnologia sendo aplicada para avaliar o relevo do Campo de Búzios.
Inovação
Uma receita premiada: o que as tecnologias pioneiras do campo de Búzios têm em comum com a gastronomia?
Artigo
7 min
Link da Notícia 28539
Inovação
Tipos de navio: conheça os principais modelos da Transpetro
Artigo
4 min
Link da Notícia 28542 Imagem de perfil de rosto de pessoa com linhas em 3D.
Inovação
As mil e uma utilidades do scanner 3D – e como essa tecnologia está cada vez mais acessível
Artigo
6 min
Link da Notícia 28558 Foto de colaborador da Petrobras utilizando tecnologia Sísmica 4D.
Inovação
Sísmica 4D: tecnologia para enxergar abaixo do fundo do mar
Artigo
5 min
Link da Notícia 28570 Fotografia de carro andando em asfalto. A imagem representa uma estrada.
Inovação
Asfalto sustentável: estamos pavimentando caminhos para a transição energética
Artigo
2 min
Link da Notícia 28584 Foto de parte elétrica de supercomputador.
Inovação
O que são os supercomputadores e quais são os impactos tecnológicos?
Artigo
4 min
Link da Notícia 28592 Robô de inspeção submarino
Inovação
Conheça nosso robô para inspeções em dutos submarinos
Artigo
5 min




Canais

Acessibilidade

Faça uma busca:

Buscar

Sugestões de busca

Link de exemplo
Ícone do botão /documents/d/nossa-energia/chevronright-svg?download=true Exibir mais resultados
Ícone de carregamento

Mais pesquisados

Preço dos combustíveis

Pré-Sal

Time Petrobras

Escolha um Canal:

Acessibilidade

Alto-Contraste

Desligado

Ligado

Texto Grande

Desligado

Ligado

Idioma:

Selecione um idioma: